Curso de Parafarmácia, Dietética e Nutrição »

Susana Bernardo retorna à Master D para uma segunda formação

A Susana procurou a Master D há 10 anos atrás e voltou para apostar novamente na sua formação. Conheça a opinião da Susana acerca das mudanças no nosso serviço formativo.

 
Opinião da Susana Bernado acerca da serviço da Master D

Era uma miúda, tinha acabado de sair da escola. Tinha 18 anos e nunca iria para a faculdade, porque achava que era uma coisa muito demorada e que nunca mais saía de lá e o dinheiro também não era muito.

E, então, a minha mãe a folhear o jornal viu. “Olha, Master D, formação, olha não queres ir fazer isto?”

E, então, ligámos e viemos à Master D e aí sim, inscrevi-me e comecei a realizar a formação de Auxiliar de Ação Médica. Ia ver o que é que dava o futuro. Na altura, àquela idade a pessoa não está a imaginar o que vai fazer daqui a 10 anos.

E foi mesmo, bora lá fazer, bora lá aprender e ver o que é que dá. Não era nada do que é agora, mandavam-nos estudar o módulo. Primeiro não era Pen, eram dois monstrinhos de dossiers em papel ainda, e então estudava uma unidade e ia lá fazer o teste, ia para casa estudar outra unidade e ia lá fazer o teste, basicamente andei estes 9/10 meses a fazer isso, mais nada. E no final havia sempre então o estágio para fazer, na altura fui fazer o estágio e gostei do sítio para onde fui, fui para o SAMS, estava nas consultas de oftalmologia e pronto, depois daquilo feito tinha de fazer-me à vida a nível profissional.

Na altura não consegui logo, ainda tive uns desvios porque pronto na procura de emprego, ainda há pouco estava a comentar com a Carla, ouvimos sempre muitos nãos, respostas menos agradáveis do tipo “A menina não aparenta idade para trabalhar” eu tinha 19 anos, o que é que queriam que eu aparentasse? Se ninguém der a primeira oportunidade…

 

 

Isto ainda demorou pronto, 2007 até 2009, até o hospital de Santa Maria me dar a verdadeira oportunidade de fazer a minha profissão.

 

A segunda formação da Susana e as mudanças no nosso serviço formativo

Entretanto com as redes sociais, muita publicidade e comecei a ver cursos novos convosco e disse assim, que interessante já estão a alargar mais cursos, vou pesquisar. Comecei a fazer uma pesquisa e vi o de Parafarmácia, que era novo, e disse assim: “ah bem isto não custa nada, vamos lá perguntar como estão as condições e vamos aprender mais qualquer coisa, alargar horizontes”.

Em termos de atividades completamente diferente, os Workshops, os webinares, as jobskills, é muito mais presencial do que de há 10 anos atrás. Há mais interação com os colegas, se bem que eu com o trabalho nem consigo vir muitas vezes cá, mas tento lá jogar um bocadinho e tentar vir.

Há muito mais interação com os colegas da formação e há sempre uma troca de conhecimentos, e vai-se sempre falando com pessoas novas, cada Workshop que venho é um grupo novo e há sempre novidades.

Não vou dizer que vou largar já o hospital de um dia para o outro, não digo que não queira deixar de fazer turnos, porque já são quase 10 anos a fazer turnos, não me vejo até aos 50 anos a fazer turnos. Mas se realmente abrir alguma porta neste mundo da parafarmácia, da nutrição eu não digo que não mude de emprego mas que por enquanto vou aproveitando os conhecimentos que vou tendo aqui no meu dia-a-dia quando é necessário. Em termos de alimentação principalmente dos utentes sim, tomar um bocadinho mais de atenção nas alergias, nas dietas que as pessoas têm, sim.

 
 
Avalie esta notícia:
 
 
 

Novo comentário: